11 de junho de 2021

Já pensou no seu futuro com Deus?

 A Graça e Paz de Cristo Jesus, meus amados irmãos!

Esse é um texto na primeira pessoa, porém não se trata especificamente sobre a minha pessoa, mas como Deus me ensinou, em um tempo preciso, a aceitar e entender o seu agir sobre a minha vida.

Deus não pensa como nós, não vê como nós e não planeja como nós. Muitas vezes, até de maneira inconsciente, tentamos humanizar as suas condutas, questionar as suas permissões e até culpá-lo por nossas perdas e decepções.

Nesse ciclo de existência, do qual fazemos parte, muitos devaneios e equívocos são totalmente compreensivos, pois cada idade e experiência nos acrescentam novos entendimentos, e à medida que os anos vão avançando, o discernimento acerca de tudo o que acontece com a gente e a nossa volta necessariamente evolui. Porém, quando não existe um relacionamento direto com Deus, dificilmente é possível alcançar, mesmo ao longo dos anos, uma maturidade que nos conduza a tal discernimento.

Todos que amam a Deus, não pelo que Ele pode fazer, mas pelo que Ele é e pelo que já fez um dia, não se contentam apenas com ligeiras orações, idas a igreja ou encontros de células, na realidade buscam alinhar uma vida acompanhada da presença de Deus, em qualquer lugar e circunstância, mas, sobretudo desejam construir um futuro com Deus.

Assim, após alcançar alguma maturidade espiritual, cheguei a essa conclusão: se desejo ter um futuro com Deus, preciso aprender a construir uma história com Ele e me dedicar com afinco a esse propósito. Firmar um compromisso com Deus requer maturidade espiritual, para entender que esse é o relacionamento mais sério que um homem pode ter.

Por vezes, falhamos com as pessoas, magoamos, traímos, erramos, julgamos... e nem ao menos pedimos desculpas, às vezes nem sequer revelamos nossos erros: omitimos, nos escondemos, fugimos. Mas do Senhor nada podemos ocultar, não significa que não venhamos a falhar, mas que a confissão, o arrependimento e o clamor pelo perdão venham sem demora, porque em um relacionamento com Deus, não dá para seguir o fluxo, fingindo que está tudo bem, é necessário conserto, transparência e lealdade. Assumir seus erros e pedir perdão é a primeiro estágio do amadurecimento espiritual. Diferente do que alguns pensam, não é demonstração de um fracassado, um perdedor qualquer, mas de alguém que busca ser melhor ao reconhecer suas imperfeições, que busca andar em paz com o Senhor e consigo mesmo, mas que, sobretudo: deseja ter um futuro com Ele.

Figura na Janela Dalí

Nunca saberemos a hora e o dia em que partiremos rumo a nova existência ao lado do Pai, e essa é uma das principais razões pelas quais não devemos nos alongar em pecados, em mentiras e dissimulações, pois pode não haver mais tempo para um pedido de perdão. 

O segundo estágio de amadurecimento é entender que tudo é para Deus, desde os mínimos gestos aos mais notáveis. Tudo é por Ele e para Ele, uma vez que Ele é o sentido de tudo. Esse é um posicionamento deverás difícil, porque requer firmeza de caráter e segurança de identidade. Compreender que em cada decisão deve prevalecer o parecer de Deus é demonstração de entrega absoluta, dependência, humildade e obediência. Percebemos que em cada projeto, gesto, comportamento existe um consentimento sobrenatural do Espírito Santo do Senhor e somente debaixo dessa permissão é que conseguimos ir adiante. O aval do Espírito Santo sobre nossas decisões promove a nossa perfeita sintonia com Deus, e tudo vai voltando para Ele, de forma natural, como os rios que correm para o mar, em tudo se desenha a direção, a vontade e a Glória do Senhor.

O que a primeira vista, parecia algo tão distante e desconexo de Deus, às vezes até um sonho sem muito valor aos olhos humanos, vai tornando-se real porque já havia nascido no coração de Deus, é nesse instante que enxergamos a razão de tudo ser por Ele e para Ele, porque aquilo que parecia ser só nosso, na realidade já havia sido sonhado primeiro por Deus, tudo apenas volta para Ele, para a Glória do seu nome. A força da natureza de Deus é que impera, isso só se torna perceptível a medida que o nosso relacionamento vai se aprofundando com Ele. Porém, o pecado derruba todo o projeto, quebra a sintonia, desfaz a aliança, desgraça a consciência do homem, tornando-o instável, indeciso e perdido. E nesse ponto, retornamos para o primeiro estágio: o clamor pelo perdão.

O terceiro estágio seria: entender que tudo coopera para crescermos e assumirmos novas responsabilidades diante de Deus. Como poderíamos entender a dor do outro se um dia não a experimentamos? Como poderíamos adquirir alguma sabedoria se não construirmos uma história repleta de situações boas e ruins? Em todas as coisas o nome de Deus é exaltado! É isso que nos diferencia do mundo, porque entendemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus e escolhem permanecer nesse amor independente das circunstâncias.

Nossa caminhada com o Senhor é cheia de espinhos, requer determinação, fé, temor e amor. Nesse ponto, em particular, considero o estágio mais difícil da nossa história com Ele, porque implica em renúncia genuína de nós mesmos. Posso testemunhar que um dia conheci a minha pior dor, me vi com a alma totalmente exposta como ferida aberta, latejando incessantemente, coração rasgado em pranto, lançada ao chão em total escuridão e abandono, quando ouvi seus passos adentrarem o ambiente, uma companhia nunca antes imaginado e ouvi sua voz dizendo: - Estou aqui, estás machucada, mas Estou aqui! Não estás perdida, pode estar doendo, mas você sabe quem é, por isso Estou aqui.  Faça a minha vontade, permaneça no meu amor, permaneça aqui, permaneça em Mim.

Viver algo que nos machuca, desejar agir com as próprias forças e impulsos e não os fazer, renunciar o desejo da própria carne por obediência, por lealdade e fidelidade ao Pai é difícil, mas é entender que nosso relacionamento com Deus é o que nos defini como ser humano, o único pelo qual devemos verdadeiramente viver e morrer, preservar isso é mais importante do que tudo, independente do que façam com a gente.  

Cristalizei o meu casamento com DEUS e nunca mais me senti só, posso lhe ouvir, receber o seu consolo, e depositar Nele toda a minha confiança e segurança.

Se algo de ruim é feito contra nós: Deus se revela, nada é em vão ou por acaso. Por mais que pareça incompreensível, injusto e extremamente doloroso, existem uma infinidade de razões debaixo do céu que justificam a permissão de Deus para isso.

Perda gera recomeço, traição gera maior percepção, doença gera humildade.  Se não houver dor não há crescimento, não há valorização sincera do que já se tem ou teve, a ausência de percalços torna tudo muito fácil e vazio de aprendizado. Ninguém quer sentir dor, mas depois que passa e as águas se acalmam, encontramos a essência de Deus na força que passamos a reconhecer em nos mesmos. E tudo volta para Ele. Depois desse estágio nos tornamos realmente aptos para assumirmos novas responsabilidades diante de Deus, vencer desafios firmados na fé, confere novas posturas e entendimentos para sairmos da borda de um relacionamento raso e atingirmos o profundo com Deus.

Deus é bom o tempo todo, nós que não somos, priorizamos as nossas próprias vontades usando como respaldo o livre arbítrio que Ele nos concede, conduta de quem engatinha rumo à maturidade. De fato, somos livres, para escolhermos o céu ou o inferno, o certo ou o errado, a verdade ou a mentira, Deus ou o Diabo... e essa liberdade é fruto do amor. O amor de Deus filho: Jesus Cristo, o amor exposto em corpo desnudo: humilhação, amor provado em carne dilacerada, mãos e pés perfurados: sacrifício, o amor derramado em sangue na Cruz: Liberdade. Somos livres e agraciados pela maior prova de amor de toda história da humanidade.

Se eu sou detentora de tal liberdade, Deus será sempre a minha escolha. Para sempre Deus. 

Vencido os estágios: compreensão ampliada, escolhas acertadas, últimos degraus alcançados, futuro reservado... para sempre Deus, para sempre com Deus: sonho realizado.

Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda. 2 Timóteo 4:7-8.

                                                                                                                       Alana Baggioto

 

 

24 de abril de 2021

O Resgate

 Graça e Paz de Cristo Jesus, meus amados irmão!

Existe uma linha que separa o entendimento humano, da compreensão espiritual da vida, e aqueles que de alguma forma já atingiram, ao menos uma parte dessa compreensão espiritual de que a presença soberana de Deus age sobre todas as coisas, não consegue ignorá-la, fugir ou até fingir ser leigo acerca de tal verdade, pois quem um dia conheceu a luz, não sobrevive mais na escuridão. Mesmo que os pés venham a desfalecer por algum período, sua consciência lhe coloca em alerta de que em algum momento o amor de Deus irá lhe surpreender, irá rasgar cortinas se necessário for, promover um tratamento de resgate e cura, e propor uma nova aliança.

Como seguir distante Dele, uma vez já tido sido totalmente envolto de um amor tão profundo e revelador?! Um amor que atravessou a alma com uma força transformadora capaz de firmar passos perdidos... sem rumo, um amor que trouxe nitidez de pensamentos, lucidez, foco?! Não viverá distante Dele.

Deus é a prioridade da vida do verdadeiro cristão, não são os fartos sorrisos entre amigos, o compromisso com a profissão, a vontade de se superar nos esportes, a boa comida, festas...  É Deus, sempre Deus... Todo o resto torna-se acessórios em uma caminhada em que o foco é estar com Deus, é em tudo glorificar a grandeza de Deus... Para no dia certo finalmente Conhecê-lo da mesma maneira como somos então conhecidos por Ele.

Distantes... Cavamos a sepultura da nossa própria destruição, tudo é passível de aceitação, até O tornamos culpado das nossas frustrações, dos percalços pelos quais qualquer um pode estar sujeito... Distantes, escondemos a nossa identidade, mas o selo ninguém retira e o resgate vem. O resgate vem com amor e justiça.

                                                                                                                        Alana Baggioto

28 de março de 2021

O Impensado pelo Mal e já decretado por Cristo

A graça e a paz de Cristo Jesus, meus amados!

Felizmente, eu já conheci muitas pessoas... sou filha de um militar e por essa razão conheci diferentes regiões do Brasil! Norte, nordeste, sul, sudeste, centro oeste. A paixão do meu pai era viajar de carro e parar em diversos municípios, conversar com gente de outras culturas; manias, comportamentos e pensamentos, e isso me fez crescer e desenvolver uma espécie de feeling humano!

Hoje, morando em uma mesma cidade há alguns anos (algo que confesso que demorou um tempo para eu me habituar) ainda me deparo com todo tipo de gente e ainda consigo me surpreender. Há pessoas que se alegram com a nossa alegria, que nos admiram e simplesmente gostam da gente, há pessoas que olham dentro dos nossos olhos e são verdadeiras, mas há pessoas que não conseguem fixar o olhar no nosso e fingem alguma simpatia, pessoas falsas e invejosas que destilam veneno acerca das nossas conquistas, e que vão tão além da maldade para nos prejudicar, para nos diminuir, na ânsia de se auto afirmar através de uma queda forjada contra nós.

Mas, deixa eu lhes contar: a grandeza do Espírito Santo de Cristo nos faz virar o jogo, e tudo o que é lançado para o nossa destruição transformamos em Glória para exaltarmos o nome de Deus. A sabedoria, discernimento e força que transforma o nosso corpo e mente reconhece o poder de Cristo rugindo como um leão dentro de nós e ao invés da queda ganhamos asas que nos impulsionam a voos nunca antes imaginados. Então somos obrigados a dizer: - obrigada por ter tentado o mal contra mim, você me fez melhor do que antes, talvez você não soubesse que eu tenho o selo de Cristo no meu corpo e na minha alma, que a fidelidade e a misericórdia Dele transbordam sobre a minha vida a cada passo e decisão que eu tomo. Eu não ando sozinha, eu não ando perdida! Eu sei quem eu sou em Cristo, minha identidade corre dentro das minhas veias, no meu DNA.

Você também pode dizer isso, contra aqueles que pleiteiam o seu mal em oculto!

Quem luta por mim nunca perdeu
Quem vai em minha frente é o rei dos judeus
Que não muda, não falha, não perde batalha
Ele quem abate, ele quem exalta
Ele quem mata e quem deixa viver
O dono da vida tem todo poder

                                                                                Alana Baggioto

27 de fevereiro de 2021

Uma loucura chamada: Dependendo de Deus

 A Graça e a Paz de Cristo Jesus, meus amados irmãos!

Há pessoas que consideram loucura o fato de alguém viver sob a dependência de Deus, principalmente os ateus, agnósticos e outros que se identificam de alguma forma com essa filosofia de vida! De fato, isso é algo bem louco, porque exige de nós uma percepção além do olhar físico, do olhar humano preso às coisas materiais e perceptíveis. Alguém já viu o amor? O amor não é palpável, mas é notado através de atitudes e sentido no toque, no abraço, no afago.  Deus não é visto a olho nu, mas percebido nos gestos, nas palavras e sentido na alma.

Viver sob a dependência de quem não se vê, mas apenas se sente é realmente uma loucura, mas apenas se estivermos presos a esse corpo, a essa carne e a esse mundo, onde tudo é perecível. Acredito que quem vive apenas a expectativa do agora, deposita todo o seu prazer e alegria em momentos construídos somente para o desfrute dessa vida, o que fatalmente os tornam como sepulcros caiados. Que por fora aparentam certa beleza e alegria, mas por dentro sentem-se perdidos e temerosos em serem revelados, trazendo á tona o seu interior eivado de enganos e mentiras.

Fariseu cego! Limpa primeiro o interior do copo e do prato, para que também o exterior fique limpo.
Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia.
Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas interiormente estais cheios de hipocrisia e de iniqüidade.
Mateus 23:26-28

Deus nos chama para o profundo, Ele deseja que vivamos experiências de fé, para nos maravilharmos no seu sobrenatural, para provarmos (nem que seja um pedacinho) daquilo que nos aguarda em uma outra vida, ou melhor, na verdadeira vida que nos aguarda no retorno ao Jardim. Confiantes prosseguimos e principalmente, fortalecidos, quando passamos a experimentar dessa realidade com o Senhor. Andamos, planejamos, dormimos e acordamos e permanecemos, independente das boas ou más circunstâncias, como a casa edificada sobre a Rocha.

Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha. Mateus 7:24,25

O que parece loucura na boca do ignorante soa extremamente familiar para aquele que ama a Deus, por isso, andemos com aqueles que abominam o pecado e sentem prazer na companhia diária do Senhor, pois é preferível ser tomado como louco, a dar abertura para que o mal tente nos desviar do caminho reto, nos trazendo confusão de pensamentos e instabilidade, nos fazendo tropeçar e retirando-nos da adorável e perfeita presença de Deus.

                                                                                                                         Alana Baggioto

8 de fevereiro de 2021

Das coisas que o mundo não entende

A Graça e a Paz de Cristo Jesus, meus amados irmãos!

Em Habacuque 3:17-18 está escrito:

Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado;
Todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação.

Para quem ainda não conhece intimamente a Cristo, considera que determinadas atitudes e pensamentos daqueles que o tem como Pai e Salvador, não passem, na realidade, de verdadeiras sandices. Não entendem como mesmo diante de perseguições, traições, dores e temores, continuam a seguir com fé e com uma alegria inexplicável em Glorificar o nome Santo do Senhor Jesus.

Mas, realmente não há como compreender, pois para isso é preciso subir no alto da montanha e observar com atenção todo o trajeto percorrido na companhia do Senhor, até aquele instante.  É necessário ter ao menos tido uma história com Cristo, é preciso ter experimentado da sua real presença. A bagagem repleta de um coração exclusivo, de um amor sincero, sem interesses e condições, de uma vida preenchida de experiências e renúncias, é o que faz florescer em nosso interior a alegria que nada e nem ninguém consegue macular.

Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos. 2 Coríntios 4:8,9.

E por mais que em alguns momentos, as fraquezas da carne venham a ferir a nossa alma, o socorro de Cristo faz o Espírito Santo se expandir outra vez para o seu lugar de direito dentro de nós, restaurando rapidamente o nosso ser e enchendo de renovo o nosso viver. E mais uma vez, e de novo e para sempre, o Espírito reina sobre a carne. Uma vez selado, uma vez conhecido, uma vez curado, uma vez tomado em seus braços por Ele, para sempre Dele. E ao retornar para o lugar de intimidade, a alegria é inevitável, pois a felicidade é inerente a Cristo.

Poderia descrever todas as razões que justifiquem a alegria de um cristão, independente das circunstâncias, é todas correriam para a mesma fonte: o amor e fidelidade de Cristo. Um amor tão grande que reconforta o coração do injustiçado, uma fidelidade tão perfeita que traz a luz, revelando todo o oculto e destruindo as mordaças de Satanás. A verdade revelada é necessária para derrotar o inimigo de nossas almas, e mesmo que doa por uma noite, a verdade é libertadora, porque Deus é verdade e não existe alegria genuína na mentira.

Então, é esse discernimento espiritual que não nos torna escravos do passado, é o que não nos aprisiona em poços profundos repletos de escuridão, enganos e culpas. A certeza de que tudo com Deus coopera para o bem é o que nos impulsiona para o novo, é o que queima em nosso ser, nos tornando sempre mais fortes e nos fazendo correr com mais sede ao encontro do Pai, para  desfrutar de uma vida de plenitude com Cristo.

                                                                                                                       

                                                                                                                        Alana Baggioto

31 de janeiro de 2021

Quebrando a Culpa que nos distancia de Deus

 A Graça e a Paz de Cristo Jesus, meus amados irmãos!

Há momentos em que nos sentimos tão desconectados de Deus, mesmo sendo conhecedores da sua existência, do seu amor e sua infinita misericórdia. A consciência do pecado nos constrange e cria uma barreira para nos achegarmos ao Pai. Em outras situações, essa desconexão não procede diretamente do reconhecimento do pecado, mas do esfriamento do relacionamento com o Senhor, que foi enfraquecendo-se de forma lenta e quase imperceptível, devido à inserção de elevadas doses de distrações e egocentrismo.

Seja pela falta de temor, reverência e/ou por colocar a si mesmo e suas próprias vontades no centro de tudo, na realidade, não importa a causa, razão ou circunstância que nos fizeram chegar a esse vazio tão desconfortável de Deus em nosso ser, tudo o que precisamos é buscar nos alinharmos novamente com Ele, o mais rápido possível.

O Espírito Santo do Senhor é real e habita em nós, e por inúmeras vezes nos alerta quando estamos trilhando uma rota que nos distancia da vontade do Pai, mas a carne acaba por vencer e segue o seu próprio caminho. Diante disso, a sintonia da vida não segue uma cadência agradável, coisas que outrora fluíam de maneira tão natural e prazerosa, como ir à igreja, ler passagens da Bíblia ou esquecer as horas em longas conversas com o Pai, tornam-se tão pesadas, soam como difíceis obrigações que precisam ser cumpridas para fechar o dia, para “bater o cartão” dentro daquele resquício de uma rotina cristã. E o tempo vai passando e o pecado adentrando sutilmente em cada segmento das nossas vidas.  Satanás vai agindo de forma velada e nos induzindo a acreditar que determinado comportamento ou pensamento não é pecado, nada mais parece ser pecado, tudo se torna normal e aceitável. Inclusive Deus torna-se o carrasco, com todas as suas proibições e direcionamentos.

 Acredite, que se você se sente de alguma forma distante do Senhor, o arrependimento é o primeiro passo. Podemos até nos sentirmos culpados por um instante, a culpa é inerente ao homem, mas não podemos nos vitimizar diante de Deus, pois antes mesmo de fazermos ou deixarmos de fazer algo, Ele já sabia de tudo, Ele nos conhece melhor do que nós mesmos, Ele conhece as nossas fraquezas e imperfeições, e mesmo assim continua nos amando e nos esperando. Somos justificados todos os dias pelo Sangue do Cordeiro.

RECONHECER.  REPREENDER.  RECOMEÇAR.

Reconhecer o pecado, as causas que nos afastam de Cristo. Repreender toda a armadilha de Satanás para nos manter distantes do Pai, toda seta inflamada lançada em nossas mentes que tenta nos fazer acreditar que não somos dignos do perdão e do amor do Senhor. Recomeçar o nosso relacionamento com o Deus, assim como a Palavra nos ensina em Isaias 55:6 buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Recomeçar sempre, se for preciso recomeçar um milhão de vezes, o façamos!

Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais.
Então me invocareis, e ireis, e orareis a mim, e eu vos ouvirei.
E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração.

Jeremias 29:11-13

16 de janeiro de 2021

Perdendo Bênçãos

A Graça e Paz de Cristo Jesus, meus amados irmãos!

Existem circunstâncias ruins pelas quais somos obrigados a passar e que não há nada que possamos fazer para evitá-las ou simplesmente escapar delas. Diferentes razões nos prendem, na realidade, nos submetem a elas de maneira que só é possível sentir o sabor amargo descer pela garganta, o coração desfalecer dentro do peito e a frustração tolher a nossa alma deixando-a bem pequenininha e sufocada.  Quem nunca já se viu assim? Mas, acredito que como dizia o matuto de uma novela famosa: - Tudo o que acontece de ruim na vida da gente é 'pra meiorá!

Nós, como cristãos, sabemos que tudo o que Deus permite que nos aconteça é com um objetivo. Não é nada por acaso, ou que de qualquer forma iria acontecer. Quando nos entregamos nas mãos de Deus, passamos a ser responsabilidade Dele (inclusive eu já escrevi isso em alguns textos), mesmo acertando ou errando, mesmo se dedicando ou vacilando, independente da situação, enquanto proclamamos que só o Senhor Jesus é o único digno da nossa adoração e o legítimo Salvador das nossas almas, pode ter certeza que tudo o que vivemos está debaixo dos propósitos de Deus.

Mas, sabe o que é mais reconfortante? É saber que após uma batalha vem a vitória, a caminhada cristã é feita de batalhas, e também de muitas vitórias. Tudo isso faz parte da nossa história, a cada luta uma sobrecarga de conhecimento, de sabedoria, de experiência, de intimidade com Deus. A cada vitória, um período de regozijo, de calmaria e descanso. Sim, Deus permite que passemos por grandes tempestades, mas Ele não nos abandona em meio aos ventos impetuosos, Ele nos ensina a lutar, Ele nos faz fortes, nos prova e nos concede a medalha de vencedor.

E depois que conquistamos a medalha de vencedor, é possível de alguma forma perdê-la? Em outras palavras: é possível perder uma benção, depois de tanto esforço para alcançá-la? Sim! Existe uma condição debaixo do céu para preservarmos nossas bênçãos. Em Mateus 6:33, a encontramos:

Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.

A condição então é: buscar a Deus em primeiro lugar, e as bênçãos temporais e materiais nos serão preservadas. Já notou que quando estamos desfrutando de um longo período de calmaria, nossos objetivos tendem a desfocar de Deus, de reservar aqueles momentos de oração e conversas que costumávamos ter com Ele? De nos permitir falar sobre Ele com os estranhos, de compartilhar nossos testemunhos de fé, parece que nos firmamos mais na carne, nos nossos próprios impulsos, deixando de ceder um espaço para o Espírito Santo agir por meio de nós. Então sim, perdemos nossas bênçãos, uma a uma, até ao ponto de se zangar com Deus, acreditando que Ele nos abandonou, quando na verdade fomos nós que O abandonamos e resolvemos viver regidos por nossas próprias intuições.

Isso me fez recordar daquela geração que saiu do Egito, que foi liberta da escravidão, mas por desobediência nunca entrou na terra prometida. Perderam a benção! Apenas Josué e Calebe conheceram a terra de Canaã. É como li certa vez: Tem Gente perdendo bênçãos (no plural) no futuro, por não saber lidar com UMA benção (no singular) que ganhou no presente (Márcio Otnniel).

Alana Baggioto

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...