BANNER ROTATIVO

BANNER ROTATIVO

29 de maio de 2022

O que representa o nome JESUS para você?

Graça e Paz de Cristo Jesus, meus amados! 

O nome de Jesus é como um doce… um doce que derrete sutilmente na boca, que satisfaz de modo extraordinário o nosso paladar e arranca um sorriso quase que involuntário dos nossos lábios ou emociona profundamente a nossa alma.

Jesus: a nossa alma se comove ao falar o seu nome! Há uma submissão natural do nosso ser ao nome de Jesus.

Um nome que transforma o nosso estado de espírito, os nossos dias, a nossa história. Um nome que traz paz, confiança, força!

Um nome que nos envolve de um amor inexplicável, de uma sensação gigante de conforto e proteção, que libera armaduras que nos abarcam pela direita, pela esquerda, e dos pés a cabeça.

Um nome que desperta em nós um espírito de ousadia, que traz coragem, que nos molda como soldados em prontidão, que amplia a nossa visão como águias, para que não nos tornemos como presas fáceis e indefesas nas mãos do inimigo.

Um nome que semeia uma alegria inexplicável em nossa alma, que independente das circunstâncias, nos faz sorrir e enxergar tudo com leveza em meio aos caos do mundo.

Chame por Jesus, proclame Jesus, ande com Jesus, pois viver com Jesus faz tudo ser diferente.

Alana Baggioto

24 de maio de 2022

O seu feeling espiritual está acionado?

 Graça e Paz de Cristo Jesus, meus amados!

Muitas vezes nos ouvimos que o cristão precisa estar vigilante… sempre vigilante para não pecar, entristecer e afastar o Espírito Santo de Deus.

Não se assentar na roda dos escarnecedores, não agir como um ignorante a respeito das ordenanças bíblicas. Não emprestar a língua para o inimigo, proferindo mentiras e julgamentos maldosos. Não trair seu cônjuge, seus filhos, seus amigos. Ser fiel, ser leal, ter um caráter reto e justo.

O caminho que nos leva a Deus é cheio de renúncias das coisas desse mundo, e principalmente de nós mesmos, da nossa vontade pecaminosa. Tudo começa com uma transformação interna, da nossa mente e coração, onde os desejos de outrora passam a perder o sentido e vão sendo semeados novos anseios: o de conhecer Jesus.

Mas para que essa transformação aconteça precisamos nos prostrar diante do Senhor, precisamos querer e buscar aquilo que o Senhor deseja e prepara para nós, somos nós que damos o primeiro passo.

Nós somos um compêndio do que ouvimos, do que assistimos e do que comemos. O mundo ao qual somos apresentados e inseridos, desde quando nascemos, é o responsável por moldar nossa personalidade, nossas preferências e costumes.

Porém, quando nos entregamos verdadeiramente a Deus, damos liberdade para o seu Santo Espírito ir modificando em nós tudo o que não lhe apraz. É acionado um feeling espiritual em nosso interior, uma sensibilidade construída pelo amor de Deus, que nos coloca freios, que desenha limites para os nossos lábios, olhos e ouvidos. Mas que compete a nós respeitá-los e obedecê-los, pois temos o livre arbítrio sobre as nossas decisões.

João 3:30 - É necessário que ele cresça e que eu diminua.

Por isso, repetimos o que foi mencionado no início: o cristão precisa estar vigilante! Principalmente com aquilo que ouvimos e assistimos. Imagens e cenas capturadas pelo nosso olhar ficam depositadas em nossa mente, influenciam os nossos pensamentos, comportamentos e desejos.

Filmes, novelas, séries, músicas podem ser imensos portais do inferno em nossas mentes. Inclusive a comida pode nos escravizar se não soubermos dosar a quantidade e a qualidade daquilo que escolhemos para alimentar o nosso corpo.

Excessos geram compulsão, ignorância sobre a sua real carência nutricional e condição física, aliadas a uma alimentação irregular deságua em doenças a curto ou longo prazo.

Vigilância é precaução! Sobretudo, é uma forma de repelir para longe o pecado e nos santificarmos, nos esvaziarmos para então sermos um instrumento legítimo nas mãos do Senhor. Precisamos sempre nos diminuir para que o Senhor cresça. Matemos o nosso EU todos os dias para que a Glória de Deus resplandeça sobre nós e dentro de nós.

30. É necessário que ele cresça e que eu diminua. 31. Aquele que vem de cima é sobre todos; aquele que vem da terra é da terra e fala da terra. Aquele que vem do céu é sobre todos. João 3:30-31.

Alana Baggioto

22 de maio de 2022

Onde está o seu Deus?

Graça e Paz de Cristo Jesus, meus amados!

Onde está o seu Deus? O seu deus talvez não esteja mais sendo o Senhor… aquele: o Único digno de toda Honra e Glória. O seu deus talvez tenha sido aquilo que queima em seu coração, que não se chama Deus, mas que você tem tornado o seu deus, porque se tornou a sua prioridade, a sua paixão.

Se lançarmos todo o nosso esforço, dedicação e tempo em algo ou alguém que nem ao menos nos traz à lembrança a existência de Deus, então perdemos o real sentido das coisas, porque retiramos o Senhor do seu lugar de honra dentro dos nossos corações.

Em tudo o que fazemos glorificamos o nome do Senhor, porém não o tornamos o nosso Senhor!

Deus não é nosso marido, nossa esposa, nossos filhos, nossos amigos. Muitas vezes é necessário destronizar certas pessoas para então conseguirmos enxergar a Deus novamente. Pessoas são falhas e imperfeitas! É a ausência de uma visão espiritual apurada associada a uma extrema carência de alma que tem conduzido alguns a idolatrar seus cônjuges, seus filhos, seus amigos, considerando que isso é uma forma de adorar a Deus. A nossa fé e adoração tem que estar firmada em Deus, pois somente Ele é quem nunca falha, nunca erra, nunca decepciona. É preciso aprender a distinguir sentimentos e prioridades.

O que queima em seu coração?

Deus não é a nossa série preferida ou filme…

Deus não é nosso crossfit, nossa corrida, nossa academia…

Deus não é a nossa faculdade, nossos cursos, nossos livros...

Deus não é a nossa vaidade, nossas viagens…

Deus não é a nossa profissão, o nosso dinheiro, nossa ambição…

Deus não é o nosso imóvel, nossos móveis, nossa decoração…

O que realmente te estimula a se levantar todos os dias da cama e a seguir? O que mais te motiva a viver, a sonhar e planejar?

Se os desejos da carne estão imperando sobre a vontade de estar, conhecer e amar a Deus, então nos tornamos o nosso próprio Deus.

No momento em que nos entregamos ao Senhor, em que o reconhecemos como o nosso Salvador, que nos tornamos partícipes do seu sacrifício na Cruz do Calvário, nos tornamos conhecedores da verdade! E esse é um caminho sem volta. Deus virá sempre em primeiro lugar, e a igreja é parte fundamental nesse relacionamento, pois é o corpo de Cristo. 

Quer conhecer a Deus? Leia a palavra! A palavra de Deus é tão profunda e complexa, mas ao mesmo tempo é tão simples e didática. A palavra de Deus é tão consoladora e revigorante, mas ao mesmo tempo tão instrutiva e disciplinadora.  O amor pelo Evangelho nos conduz a termos constante sede por Deus e é justamente essa sede, esse amor, que não permite que nos tornemos cegos espiritualmente e escravos do nosso próprio querer.

Precisamos estar vigilantes com nós mesmos, com os nossos pensamentos, nossas línguas e atitudes, porque até o mais sábio e experimentado conhecedor de Cristo, pode por um ímpeto da carne agir em discordância com o Espírito Santo, dando espaço mais tarde a culpas e constrangimentos diante do Pai.

Mas, aquele que prioriza em tudo a presença do Senhor, a comunhão com a igreja, o escudo da Palavra, a intimidade da oração, pode até pensar em agir pela própria carne, mas ainda assim retroagirá dois passos, a fim de não pisar em falso, mas antes buscar o aval, a direção e a vontade soberana de Deus.

15 Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. 16 Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. 1 João 2:15-16

Alana Baggioto

14 de maio de 2022

É sobre Humildade e Ousadia... é sobre ser vigilante

Graça e Paz de Cristo Jesus, meus amados!

Não confunda humildade com fraqueza, com covardia ou inferioridade. Não confunda ousadia com soberba, com orgulho, ou arrogância.

 O bom cristão precisa aprender a desenvolver humildade e ousadia para fazer a diferença nesse mundo, e isso nem sempre é fácil! Muitas vezes somos interpretados erroneamente, porque o excesso de humildade pode nos gerar um aspecto de “coitadinho”, e o mau uso da ousadia pode se transformar em atitudes invasivas e desnecessárias.

Por isso é preciso aprender a dosar e saber qual o momento certo para agir com humildade e/ou ousadia.

Pedir orientação ao Espírito Santo para se conhecer e reconhecer sua própria essência, buscar estar sempre em comunhão com Deus para não cair nas armadilhas da própria língua, para não proferir palavras vãs que em nada acrescentam, em nada edificam, pelo contrário, criam uma imagem distorcida de quem realmente somos. 

Ser humilde:

É saber enxergar e elogiar os pontos positivos de alguém.

É saber ajudar da maneira que lhe é possível, e às vezes até fazer alguns sacrifícios.

É saber pedir perdão e reconhecer seus erros, é saber perdoar e entender que a vida está em constante movimento e os papéis podem por um instante mudar de lugar.

É saber até onde pode-se ir, é reconhecer suas próprias limitações físicas, emocionais e financeiras, e não simular o que não se é e o que não se pode.

É aprender a ouvir, a calar e a ceder, e esperar a sua vez.

É aprender desenvolver a resiliência em Deus!

Ousadia se resume em: 

Fé! Inovação! Coragem! 

Ter ousadia é:

Mergulhar naquilo que acredita e defender com o melhor que se tem para oferecer.

Não se calar diante das afrontas, ter coragem. Enxergar as boas oportunidades e fazer acontecer, não se acomodar. Entender que tudo depende primeiramente da nossa própria FÉ e INICIATIVA.

O ministério de Jesus foi perfeito e nos revela traços da personalidade do Senhor que demonstram como Ele conciliava e desenvolvia a sua humildade e sua ousadia, enquanto filho de Deus. A humildade de Deus foi tão imensurável que Ele na condição de filho, se fez homem e como diz em Filipenses 2:6-8:6. 

6. Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,

7. Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;

8. E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.

Só o fato de Deus se fazer carne como nós já demonstra humildade soberana e incomparável. Jesus sabia quem era, mas não buscou para si holofotes e trombetas, mas como um filho obediente se pôs na condição de um mortal para cumprir o propósito do Pai, seguindo todo o justo processo com humildade e ousadia.

Veja: propósitos, objetivos, missões nos tornam pessoas humildes, principalmente quando sabemos que há um bem maior por trás de tais missões, que alcançará mais vidas.

Jesus nunca foi o coitadinho da história, o plano que nos conduz a salvação continha ensinamentos profundos que precisavam ser ministrados da maneira que Jesus o fez, com acesso livre ao povo para se fazer conhecido por todos.

Mas nem por isso, Ele se calou diante das extravagâncias, do abuso de poder e ganância dos fariseus. Em Mateus 23 e versículos, Jesus condena a hipocrisia dos fariseus e dos escribas:

25.  Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que limpais o exterior do copo e do prato, mas o interior está cheio de rapina e de iniquidade. 26.  Fariseu cego! Limpa primeiro o interior do copo e do prato, para que também o exterior fique limpo.

Veja: ousadia requer sabedoria, conhecimento, experiência. Ninguém que deseja agir com ousadia o faz sem o devido discernimento a respeito do que preconiza ou defende, porque se assim o faz, na verdade age como um tolo.

Não sejamos nós como aqueles que buscam a glória para si, maquiados de uma humildade que na realidade não existe, que usam a palavra de Deus como pano de fundo e desvirtuam a ousadia que o Senhor espera de nós, agindo de modo que busca apenas enaltecer seus próprios dons.

A cruz é o ápice da maior demonstração de humildade e ousadia. Em um só gesto Jesus Cristo se derramou à humanidade com amor e com a humildade de um cordeiro, mas a ousadia, coragem e bravura do Leão da Tribo de Judá, que Ele é. Agora nos resta, refinarmos a nossa essência e sermos vigilantes a respeito dos nossos próprios comportamentos e pensamentos.

Alana Baggioto

23 de abril de 2022

Murmuração X Ingratidão

 Graça e Paz de Cristo Jesus, meus amados!

Para uma parcela significativa da população, os dias têm sido bastante difíceis, isso é notório não só para quem está inserido dentro dessa realidade, mas também para quem está consciente do mundo que o cerca.

Financeiramente, economicamente, temos visto muitas rendas comprometidas com dívidas infindáveis, são tantas dificuldades para manter condições básicas de sobrevivência, como colocar comida na mesa, comprar medicamentos, pagar um aluguel, abastecer um carro.

A nossa qualidade de vida, de um modo geral, tem gerado doenças que outrora eram consideradas “raras”. Nunca se viu tanto câncer, tantos problemas de visão logo na infância, tantas alergias, tantas intolerâncias a lactose, glúten… Consequências de uma despensa repleta de produtos industrializados, consequências do excesso de telas (celular, tablet, computador). Quando não se trata de mazelas físicas, são àquelas da alma, desequilíbrio emocional, depressão, insônias que não demoram para externarem-se fisicamente no corpo de diferentes formas (quedas de cabelo, gastrite...).

O homem, desde que foi expulso do jardim de Deus, busca por amor, saúde e dinheiro, e quando não os encontra, entra em conflito com a sua mente, e nesse momento de fraqueza passa a murmurar, se comparar, odiar, se distanciando paulatinamente do Senhor.

A murmuração abre as portas para a mediocridade, para a cegueira espiritual, para uma condição de vitimismo, de coitadinho, de um alguém que perde a capacidade de enxergar tudo o que Deus já fez por amor a humanidade e em particular por tudo o que Ele continua fazendo por nós. Satanás só precisa de uma queixa, de uma faísca de carnalidade para aumentar todo o nosso sentimento de murmuração e ingratidão. 

Não se trata de conformismo, de ter que aceitar a qualquer custo algo que não é bom. Mas, de reclamar e se auto vitimizar, por coisas que fogem ao nosso controle, de adversidades quase que em comum a muitas pessoas.

A frase mais ouvida de um murmurador é: - Por quê? Era só o que faltava! O que mais me falta?! Em um tom de vitimismo! Quando na verdade a pergunta certa seria: - Por que não eu? Eu não sou melhor do que ninguém! Se tudo está difícil, lembre-se do que o Senhor nos ensinou em Mateus 11:28-30:

28. Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu darei descanso a vocês.

29. Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas.

30. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.

Faça da Palavra de Deus, um escudo para o teu coração e não desperdice o seu tempo com reclamações. Deus não permitirá nenhum fardo maior do que aquele que você pode suportar. Mesmo que você repita para si mesmo, no silêncio de suas próprias dores, que não aguenta mais, mesmo que as lágrimas encharquem o seu travesseiro e os remédios já não façam mais nenhum efeito, Deus conhece o teu limite e não te abandona, ou Ele mesmo faz algo por você, ou usa algo ou alguém para fazer, ou te ensina o que você mesmo deve fazer.

Lembre-se que os murmuradores nunca conheceram a terra prometida.

Alana Baggioto

15 de abril de 2022

Perdoar para ser Perdoado

Graça e Paz de Cristo Jesus, meus amados irmãos!

Eu nunca fui e nunca serei boa o tempo todo…  muitas vezes magoei e fui magoada, menti e também mentiram para mim, enganei e fui enganada, feri e fui ferida, odiei e fui odiada.

Há um poço de imperfeição dentro de mim e todos os dias eu aprendo a lidar com ele. A minha consciência é incansavelmente bombardeada pelos dardos inflamados do mal, que buscam diante da minha fragilidade humana me fazer desacreditar do amor de Deus por mim.

Paro e me recordo de Davi, Pedro, Salomão, Jonas, Sansão, personalidades do nosso Evangelho, que fraquejaram em algum momento, que SIM, tiveram que suportar a reprimenda do Senhor, mas que se reergueram e concluíram o que haviam começado diante de Deus.

Rei Davi em luto pela perda do seu filho com Bate-Seba

Naum 1:3 já nos adverte: O Senhor é tardio em irar-se, mas grande em poder, e ao culpado não tem por inocente. Porém, Ele nos concede o perdão, como nos mostra 1 João 1:9: Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.

Enquanto estivermos aqui, todos os dias faremos algo que não irá refletir a natureza de Cristo, o faremos nem que seja de forma inconsciente. Ninguém está imune a isso, a diferença está nas nossas escolhas entre o cair e levantar, e o cair e desistir; entre o reconhecer e se arrepender, e o reconhecer e se anestesiar. E o melhor é saber que Ele por saber disso, está aberto aos que escolhem se levantar, reconhecer e se arrepender, porque a sua misericórdia é infinita e desistir do Pai nunca deverá ser uma opção, mesmo após termos falhado miseravelmente com Ele. 

Mudanças fazem parte da trajetória humana
Vivemos em constante modificação!

À medida que a distância diminui e os contornos do nosso semblante vão acentuando-se, os desafios para prosseguir fiel a Deus só aumentam. Mas, nada e nem ninguém podem nos afastar do perfeito amor de Deus. A verdade está selada em nosso caráter.

Cair, levantar e prosseguir, tudo faz parte do processo. Vida só há em Cristo, permita-se mergulhar de corpo e alma nesse amor, e encontrar a paz e a segurança que somente Ele pode te proporcionar! Nunca foi sobre religião, é sobre relacionar-se com o Criador e alongar o nosso olhar para além daqui, para uma eternidade bem acompanhados do Maior e Melhor nome que há nos céus e na terra: Jesus Cristo. 

Perdoe-se, perdoe e seja perdoado.

Há sempre um recomeço nos aguardando após o PERDÃO.

Alana Baggioto

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...